Operações Estruturadas


Os principais setores beneficiados pela atuação dessa área são: infraestrutura, energia elétrica, petróleo e gás, etanol, automotivo e telecomunicações.  Além das operações dos mencionados setores, qualquer operação que requeira mecanismos mais sofisticados para mitigação de riscos também estará sob a responsabilidade desta área, incluindo, ainda, as operações que contém garantias cursadas no Convênio de Pagamentos e Créditos Recíprocos (CCR) da Associação Latino-Americana de Integração (ALADI).

A área de Operações Estruturadas também é responsável pelas operações enquadradas nos acordos bilaterais assinados entre o governo brasileiro e o governo do país importador, tais acordos normalmente estabelecem um limite de crédito para o governo do país importador que elegerá as operações prioritárias para o desenvolvimento de seu país.

O curso da operação de financiamento à exportação dentro do CCR é obrigatório quando o importador for público e membro da ALADI

A estruturação das operações busca estabelecer mecanismos de mitigação de risco para tornar possível para o governo brasileiro (FGE) estabelecer limites e aprovar operações para países com classificação em nível de risco elevado.  Normalmente a estrutura mais utilizada é a securitização de recebíveis onde os recursos provenientes de vendas internas ou externas (exportações) do importador são dados como garantia para o pagamento das parcelas do financiamento.