Modalidades das operações cobertas (FGE/MPME)

São três as modalidades de operações de exportação cobertas por meio do SCE/MPME:

PRÉ-EMBARQUE

É obrigatória a intermediação de instituição financeira – no momento, é o Banco do Brasil que opera com o SCE/MPME – a qual concede à MPME o financiamento/ACC, que vem a ser um capital de giro à produção exportável.

PÓS-EMBARQUE

A MPME, após a exportação, poderá, junto à instituição financeira, obter um financiamento por meio de um ACE (Adiantamento sobre Cambiais Entregues) ou, também, no Banco do Brasil S.A., receber um financiamento com recursos do PROEX (Programa de Financiamento às Exportações).

Alternativamente, nesta modalidade Pós-Embarque, a MPME poderá exportar sem se valer de instituição financeira. Neste caso, a empresa, por não se valer de financiamento, não recebe a antecipação do valor da exportação e somente concede um prazo ao devedor – que geralmente é o importador – para pagamento de sua exportação. Para esse tipo de transação comercial, a operação é chamada de “Operação com Recursos Próprios do Exportador” ou simplesmente de “Operação sem Intermediação de instituição financeira”.

PRÉ+PÓS-EMBARQUE

Na modalidade Pré+Pós-Embarque, a instituição financeira, na fase Pré-Embarque, concede um financiamento/ACC, para que a MPME possa produzir os bens e/ou elaborar os serviços destinados à exportação. Ao realizar a venda externa, a MPME liquida o ACC, dando ensejo à fase Pós-Embarque. Caso seja de interesse, poderá a empresa encadear a fase Pré-Embarque com a de Pós-Embarque nas operações com instituição financeira com ACC+ACE ou ACC+PROEX.